segunda-feira, dezembro 17, 2007

One journey defined his life...



The Motorcycle Diaries


É aquela viagem que gostaria de fazer... aquelas paisagens que queria admirar, contactar com aqueles povos, perceber e sentir a história que tem acontecido naqueles locais... Deixar de lado o materialismo e sentir a terra em si e toda a sua beleza..!









Quem sabe um dia...

sexta-feira, dezembro 07, 2007

In mood for love


Su Li-zhen Chan: Feelings can creep up just like that.

Chow Mo-wan: I thought I was in control...

terça-feira, dezembro 04, 2007

umamoratrevido.blogspot.com

Que se pode amar mais do que uma pessoa ao mesmo tempo e que o coração (esse caixote onde depositamos o lixo não reciclado do Amor à falta de sítio melhor) é uma mansão cheia de quartos embolorados, à espera de limpezas renovadas de Primavera e de gelosias abertas. Mas não. O coração é um espaço pequenino e claustrofóbico, um metro quadrado de elevador, se tanto. Quando cheio, os que lá estão empurram-se, enquanto se cheiram com desagrado e se olham desconfiados. Dois no coração e já há excesso de carga, a porta não fecha e não se vai a lado nenhum, nem para baixo nem para cima. Amo-te. Mas também a ele. E não: não existe isso de um coração dividido, como um quarto camarata, com beliches de ambos os lados, ou uma suite real onde todos caibam. Não existe um que fique com o lado que leva o oxigénio, nem outro com o lado que o traz. De nada nos vale, apelarmos às fronteiras certas da anatomia: amar a dobrar é apenas um desencontro triste com o que na altura se ama menos e uma alegria fortuita e pouco serena com o que então se ama mais. Não há como vos amar aos dois: não quero os teus braços, nele, nem o sorriso dele em ti. Quando te toco, fico aquém porque não me entrego inteira; quando vacilo sobre ele, preciso-te com o desespero dos náufragos exauridos. E, no meio, o meu corpo indeciso que pende à vez, (in)fiel de balança, a braços com uma vontade por cumprir, como a que nasce das carícias incompletas. Este corpo que parece não se decide, tempestuoso, enjaulado, como um suicida que não consiga escolher em que poço mergulhar, de que ponte se atirar. Amar os dois mas, no fundo, não amar nenhum, ninguém, nem sequer a mim própria (muito menos a mim própria).

sábado, novembro 24, 2007

Forever Young

There comes a point in your life, when you’re officially an adult. Suddenly, you’re old enough to vote, drink and engage in other adult activities.
Suddenly, people expect you to be responsible, serious, a grown-up.
We get taller, we get older. But do we ever really grow up?
In some ways we grow up... We have families… We get married... Divorced…
But for the most part we still have the same problems that we did when we were fifteen.
No matter how much we grow taller, grow older, we are still
forever stumbling...
forever wondering...
Forever Young!
Grey's Anatomy

domingo, novembro 18, 2007

American Beauty

" It was one of those days when it's a minute away from snowing and there's this electricity in the air, you can almost hear it. And this bag was, like, dancing with me. Like a little kid begging me to play with it. For fifteen minutes. And that's the day I knew there was this entire life behind things, and... this incredibly benevolent force, that wanted me to know there was no reason to be afraid, ever. Video's a poor excuse, I know. But it helps me remember... and I need to remember...
Sometimes there's so much beauty in the world I feel like I can't take it, like my heart's going to cave in... "

domingo, novembro 11, 2007

Surreal..!

Até me considero uma pessoas com os pés assentes na terra mas adoro divagar sobre imensa coisa e por vezes penso como me gostaria de ver daqui a uns anos...


Pois bem, assim um bocado inesperadamente, fui convidada para ir jantar a casa de um jovem casal, pouco mais velhos que eu, que não conhecia, mas que eram amigos de uma amiga minha! Não estava à espera de nada em concreto mas como estavam a alugar uma casa há pouco tempo, imaginei-a semelhante à dos meus colegas, que estudam comigo e são de fora de Lisboa, por isso quando subi ao 4º andar, de um prédio na Estrela, não estava de todo à espera daquilo que encontrei: era apenas a casa que idealizei um dia habitar! Era um T2 numas Águas Furtadas (aquelas que têm o tecto inclinado com janelas para cima) com um terraço sobre Lisboa com vista para a cidade e para o Rio... Lindo! Ainda não estava muito mobilado mas tinha um ar moderno porque tinha sido remodelado há muito pouco tempo... E estava numa das melhores zonas de Lisboa!
A surpresa não acabou por aqui... Quando entrámos abre-nos a porta a rapariga (amiga da minha amiga), gira, bem vestida, com pinta, os cabelos loiros sobre a face morena davam-lhe aquele ar fútil das que aparecem nas revistas. Entramos e ela apresenta-nos ao namorado que estava a preparar o jantar!
Chama-se João e é Arquitecto! Pensem o que quiserem mas sempre achei que seria feliz com um artista, como pintor ou escultor podia ser um bocado alternativo, arquitecto enquadrava-se perfeitamente (isto inserido nas minhas divagações sobre o futuro...). Bem, a razão de ser João é só lerem o post mais abaixo.
Entao depois de conhecer a "casa ideal" aparecia-me à frente o "homem ideal"! Que surreal! E nem era para ter ido lá jantar... Comecei a odiar secretamente a rapariga pela situação em que estava...
(In)felizmente a rapariga tinha ar de fútil mas sabia conversar e os dois eram muito simpáticos que passado um bocado já quase que me tinha esquecido do bloqueio que me tinha dado, quando entrei lá em casa. Quando regressei a minha casa ainda vinha meio abananada pelo que me tinha acontecido...
Temos que ser realistas, o rapaz é dificil de conseguir (eles aparentavam uma relação muitoooooo saudável!) mas a casa não me vai sair da cabeça tão cedo..!
Ah e ainda existem músicas assim:
It's like rain on your wedding day
It's a free ride when you've already paid
It's the good advice that you just didn't take
Who would've thought... it figures
Well life has a funny way of sneaking up on you
When you think everything's okay and everything's going right
And life has a funny way of helping you out when
You think everything's gone wrong and everything blows up
In your face
A traffic jam when you're already late
A no-smoking sign on your cigarette break
It's like ten thousand spoons when all you need is a knife
It's meeting the man of my dreams
And then meeting his beautiful wife
And isn't it ironic...don't you think
A little too ironic...and, yeah, I really do think...
Ironic Alanis Morissette

segunda-feira, novembro 05, 2007



Hoje só me ocorrem as imagens da Benetton contra o Racismo...
Parabéns Gurinderjit!


quinta-feira, novembro 01, 2007

Obras Completas de William Shakespeare - Obrigatório!


Não sei bem do que estava à espera quando decidi ir ver a peça... Sabia que estava em cena há imenso tempo (há 11 anos mais precisamente) e que por isso devia valer a pena mas não sabia muito mais...

Chegámos ao Teatro-estúdio Mário Viegas cerca de uma hora antes do espectáculo começar pq quer dizer há tanto tempo a ser representada não havia d esgotar... Pois já estava completo mas a rapariga da bilheteira sugeriu uns lugares suplementares nas escadas que eram metade do preço, que nos davam umas almofadinhas e tal.

Bem, não ficámos nada mal! O espectáculo não foram só 97 minutos mas mais de 180 e por isso pudemos mudar imensas vezes de posição!
Os comediantes, prefiro chamar-lhes assim, eram muito bons!! Capacidade de improviso, interacção com o público, muita acção e muita imaginação pra falar daquelas obras todas... O Simão Rubim é qq coisa a falar com o público, as piadas saiem-lhe com uma naturalidade de stand-up comedy genial!

Entre tias de cascais, classe média trabalhadora, pobres e sem-abrigos (que éramos nós os das escadas), lá vimos o romeu, o hamlet, o macbeth surgirem-nos de uma forma que nunca imaginara, só vendo... Depois é rir, rir e rir!!

Estão em cena tb a Bíblia e As Vampiras Lésbicas que tb devem ser mto boas!!

Eles dizem que ainda vão actuar mais algumas vezes por isso não percam que vale mm a pena!! Ah e tentem ficar nas primeiras duas filas da plateia para... a... verem melhor!!

sábado, outubro 20, 2007

FML




Aqui fica um vídeo do 6º Ano da FML exibido dia 17 na Noite da Medicina... Está muito bom a retratar os 6 anos do curso na faculdade! Não vão perceber todas as piadas mas vale a pena espreitar...

Profissões..!

E porque ultimamente tenho feito mais do que estudar Medicina lembrei-me de pôr aqui as profissões que já quis ser (por ordem de relevância para mim):


Médica
Arquitecta
Actriz
Organizadora de Eventos
Antropóloga
Jornalista
Estilista
...
Tudo a ver né?

quinta-feira, outubro 11, 2007

Estou a aprender a tratar a Morte por... Tu!

domingo, outubro 07, 2007

Os Dois - Tiago Bettencourt

E ninguém te vai prometer que é para sempre a paixão
E ninguém te vai jurar que é o fim da solidão
Mas eu não te sei apagar sem que possas entender
o que o acaso nos mostrou a razão fez esquecer...
Hoje vou-te querer roubar outra vez

sexta-feira, outubro 05, 2007

terça-feira, outubro 02, 2007

Compromisso!

" It's not always rainbows and butterflies, it's compromise that moves us along..."
Maroon 5
"You don't know the first thing about love because you don't understand compromise..."
Closer
Compromisso... Hoje em dia é cada vez mais dificil comprometermo-nos com algo ou alguém! Exige dedicação, tempo, empenho, vontade, paciência, e por vezes, beneficia mais os outros do que nós próprios e então... desistimos! Cada vez queremos saber mais de nós próprios e perder tempo dos nossos dias por alguma causa ou alguém não nos parece a melhor opção...
Queremos fazer coisas novas e diferentes mas nem sempre as fazemos até ao fim!
É giro sair e estar com os amigos mas quando eles precisam de nós nem sempre estamos lá para eles!
Compromisso... Valerá a pena o esforço?

segunda-feira, outubro 01, 2007

Não há nada de especial nas pessoas normais...

.
Não há nada de especial nas pessoas normais...
Não acrescentam nada, fazem aquilo que é suposto ser feito, criticam pouco e aceitam muito... Não é que sejam discretas passam é despercebidas e no fim percorrem a vida sem deixarem quase nada...
.
As pessoas diferentes quando não são alvo de inveja são rejeitadas pela sociedade... É dificil ser diferente, é complicado ser-se sincero e verdadeiro consigo mesmo e com os outros, não se importando com os comentários alheios, a incompreensão e o medo da novidade.
.
Gosto de pessoas diferentes, pessoas com quem posso aprender algo, que me mostrem novas formas de estar, novos sítios para ir, coisas originais para fazer, gosto que me levem com elas e me façam uma pessoa mais rica...
.
Admiro-as pela coragem, pela sinceridade, pela vontade de romper com o antigo, o velho ou usado, pela força de lutarem e serem elas próprias...
.
É dificil... eu própria me deixo vencer pela sociedade muitas vezes mas ser diferente é ser capaz de sobressair num mundo que nos faz iguais, é querer mais e melhor e é graças a elas que tudo acaba por ser mais interessante...
.
Aos meus amigos que são especiais, que são diferentes, acrescentando sempre alguma coisa a mim e aos outros, peço para que nunca mudem!

domingo, setembro 30, 2007

João Gilberto - Águas de Março

É pau, é pedra, é o fim do caminho
Um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

terça-feira, setembro 25, 2007


E pronto não resisti...
Fui ver o Death at a Funeral de novo!!

domingo, setembro 23, 2007

Death at a Funeral


E quando já nem vamos ver comédias ao Cinema porque a paciência para filmes medíocres esgota-se... eis que nos surge um enredo delicioso com um humor de nos fazer contorcer na cadeira da sala de cinema: Death at a Funeral!
É um filme britânico que não está muito publicitado mas aconselho a TODOS para irem ver que está mesmo bom! E mais não digo, só sei é que apenas as peças no Villaret me provocam estes ataques de riso incontrolável... filmes não me lembro do último em que me ri tanto!

sábado, setembro 15, 2007

Lost - The Long Con


Kate: Why do you have to do this?
Sawyer: You run. I con.

A tiger don't change their stripes...

terça-feira, setembro 11, 2007

Aimee Mann - Save Me




Conheci-a aquando do Magnólia e ainda hoje passo imenso tempo a ouvir o OST... Para quem ainda não conhece aqui fica uma das minhas preferidas...

p.s.: como é bom ler os posts sobre ela no little black spot...

sábado, setembro 08, 2007

Muda o Teu Mundo que Eu mudei o Meu...

quinta-feira, setembro 06, 2007

Para atravessar contigo o deserto do mundo...

Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo

Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento


Sophia de Mello Breyner Andresen
Livro Sexto (1962)

sexta-feira, agosto 31, 2007

quarta-feira, agosto 22, 2007

Felicidade..!

Desde pequena que me lembro de pedir como desejo ou num aniversário ou até na bela da "pulseira do Bonfim" o querer Ser Feliz! Desde pequena que tenho como principal objectivo de vida esse mesmo fim... Entretanto percebi que a Felicidade é capaz de ser um dos estados mais subjectivos, e por isso dificil de determinar, que alguma vez podemos sentir. Apercebi-me também que raramente o ser humano lhe dá o valor merecido e que por isso andam por aí tantas pessoas infelizes e pessoas com razões de sobra para serem felizes não sabendo identificar a Felicidade! Por fim, apercebi-me que a Felicidade não é um objectivo de vida, não é algo para o qual batalhamos durante anos a fim de obter... A Felicidade a meu entender, não faz parte do fim mas sim do caminho, e que o objectivo de a conseguir deve ser alcançado diariamente e não numa fase avançada da nossa vida...
Esta lengalenga serviu apenas para poder dizer que para além de nos esforçarmos para sermos felizes devemos principalmente esforçarmo-nos para reconhecer quando a Felicidade surje nas nossas vidas, quando está mesmo ali... Deixar de parte a auto-exigência excessiva que nos leva ao nervosismo e ao mau-humor e... sorrir! Deixar o descontentamento constante, as lamúrias, deixar de dizer que nos falta isto ou aquilo. Vai sempre haver algo que falta mas a vida é estimulante por isso mesmo, por faltar sempre alguma coisa, por haverem sempre objectivos a cumprir, obstáculos por ultrapassar. Se tudo fosse simples e fácil que sabor teriam as vitórias conseguidas depois do trabalho árduo..?
Hoje consigo ver que, apesar de me faltarem várias coisas, de haver situações e estados que gostaria que fossem diferentes, sou Feliz! Tenho vários motivos para sorrir, fazendo para que os continue a ter e que surjam mais... Outros motivos são felizes acasos, pequenos nadas que vão aparecendo e me vão aquecendo o coração...
A minha vida não precisa de ser deslumbrante e povoada de momentos de extase, às vezes basta um gesto, uma palavra ou um momento para ter a certeza de que a Felicidade já me bateu à porta e que eu... eu deixei-a entrar!

quinta-feira, julho 26, 2007

Férias!

Wake me Up when September Ends

sábado, julho 21, 2007

Não planeies nada da tua vida, para não deixares de viver o que a vida planeou para ti...

sábado, julho 14, 2007

Encosta-te a mim - Jorge Palma


Tudo o que eu vi, estou a partilhar contigo
o que não vivi, hei-de inventar contigo
sei que não sei, às vezes entender o teu olhar
mas quero-te bem, encosta-te a mim...

Angel Song - Silence4




Fui a este concerto com 12 anos e foi com a maturidade que esta idade me permitiu que passei a adorar esta música e as restantes tb... Já se passaram 9 anos e ainda hoje é uma das minhas preferidas assim como esta noite uma das melhores... pra recordar sempre!

quarta-feira, julho 04, 2007

Best of you - Foo Fighters


Is someone getting the best, the best, the best, the best of you?

Has someone taken your faith?
Its real, the pain you feel
The life, the love
You die to heal
The hope that starts
The broken hearts
You trust, you must
Confess

Is someone getting the best, the best, the best, the best of you?

I’ve got another confession my friend
I’m no fool
I’m getting tired of starting again
Somewhere new

Were you born to resist or be abused?
I swear I’ll never give in
I refuse

sexta-feira, junho 29, 2007

The O.C.



It's always been you Summer. It's just always been you...
I tried to fight it and I tried to deny it.
And I can't, I can't do it...

You're Undeniable!

domingo, junho 24, 2007

Jorge Palma

Que a dependência é uma besta que dá cabo do desejo
e a liberdade é uma maluca que sabe quanto vale um beijo...

Enquanto houver estrada para andar a gente vai continuar...

quarta-feira, junho 20, 2007

Eternal Sunshine of the Spotless Mind - II


Clementine: Look man, I'm telling you right off the bat, I'm high-maintenance, so... I'm not gonna tip-toe around your marriage, or whatever it is you've got goin' there. If you wanna be with me, you're with me.

Joel: Okay.

Clementine: Too many guys think I'm a concept, or I complete them, or I'm gonna make them alive. But I'm just a fucked-up girl who's lookin' for my own piece of mind; don't assign me yours.

Joel: I remember that speech really well.

Clementine: I had you pegged, didn't I?

Joel: You had the whole human race pegged.

Clementine: Hmm. Probably.

Joel: I still thought you were gonna save my life... even after that

Eternal Sunshine of the Spotless Mind - I


-- I can't see anything that I don't like about you.

-- But you will!

-- Right now I can't.

-- But you will! You know, you will think of things, and I'll get bored with you and feel trapped because that's what happens with me.

-- Okay.

-- Okay.

terça-feira, junho 19, 2007

I'm your stranger... Jump!

Love is an accident... waiting to happen!
Desire is a stranger... you think you know!
Intimacy is a lie... we tell ourselves!
Truth is a game... you play to win!
If you believe in love at first sight... you never stop looking!

sexta-feira, junho 15, 2007

Palco...

Tenho saudades do palco...
Tenho saudades do ambiente todo em volta, das pessoas, das viagens até ao local onde actuávamos...
Tenho saudade do nervoso miudinho, daqueles segundos que antecedem a entrada em palco, dos camarins, dos poucos minutos que temos para trocar de roupa entre cenas...
Tenho saudades da música, da dança, das luzes, das vozes, dos olhares...
Tenho saudades dos ensaios, dos intervalos dos ensaios, do fim dos ensaios em que não íamos logo embora...
Tenho saudades dos passos repetidos, dos gestos alterados uma e outra vez, da troca de ideias, de experimentar coisas novas em cada cena...
Tenho saudades do palco, da cena, do momento em que tudo acontece, do improviso, de olhar em frente para todos e sorrir... e dos aplausos, tenho saudades das palmas...
Se há momentos em que temos a certeza de que estamos vivos um deles é seguramente o momento em que estamos em palco...

quarta-feira, junho 13, 2007

London


...Pensamentos felizes para evitar outros menos bons como é o facto da época de exames estar longe de acabar...

sábado, junho 09, 2007

The Beach


When you develop an infatuation for someone you always find a reason to believe that this is exactly the person for you.

It doesn't need to be a good reason.

Taking photographs of the night sky, for example.

Now, in the long run, that's just the kind of dumb, irritating habit that would cause you to split up.

But in the haze of infatuation, it's just what you've been searching for all these years...

terça-feira, junho 05, 2007

Eclipse - Pink Floyd

All that you touch and all that you see
all that you taste, all you feel
and all that you love and all that you hate
all you distrust, all you save
and all that you give and all that you deal
and all that you buy, beg, borrow or steal
and all you create and all you destroy
and all that you do and all that you say and
all that you eat and everyone you meet
and all that you slight and everyone you fight
and all that is now and all that is gone
and all that's to come and everything under the sun is in tune

but the sun is eclipsed by the moon...

segunda-feira, junho 04, 2007

little black spot

...Percebo entretanto que é verdade que crescemos, quando abrimos velhos livros e sublinharíamos outros versos...

sexta-feira, junho 01, 2007

Peter Pan


Wendy: Love…


Peter: (Evasively.) I have never heard of it.


Wendy: I think you have, Peter. And I daresay you've felt it yourself. For something... or... someone?


Peter: Never. Even the sound of it offends me.


[Wendy tries to touch his face, and he jumps away]


Peter: Why do you have to spoil everything? We have fun, don't we? I taught you to fly and to fight. What more could there be?


Wendy: There is so much more.


Peter: What? What else is there?


Wendy: I don't know. I guess it becomes clearer when you grow up.


Peter: Well, I will not grow up. You can not make me! I’ll banish you, like Tinkerbell!


Wendy: I will not be banished!


Peter: Go home! Go home and grow up…and take your feelings with you!

http://www.myheritage.com

quinta-feira, maio 31, 2007

sábado, maio 26, 2007

João...

Quem me conhece minimamente a mim e à minha vida sabe que por ela têm passado vários rapazes com o mesmo nome... João!
Já não me lembro quando isto começou... algures durante o 2º/3º ciclo...
Isto não teria muita importância, não fosse o facto de que para além de conhecer vários, estes tivessem comigo uma ligação diferente, especial o suficiente para terem feito (e alguns ainda fazerem) parte da minha vida e por isso serem dificieis de esquecer...
Não vou enumerá-los mas para terem uma ideia tenho 15 Joões (não faço ideia como será o plural) diferentes na lista do meu telemóvel! Não vou enumerá-los porque cada um deve supor a importância que tiveram (e ainda têm) para mim...
Uns gostaram de mim, outros fui eu que gostei, uns esforçaram-se por fazer parte da minha vida, outros entraram sem eu dar conta, uns mostraram-me o valor da amizade e do amor, outros foram meros acidentes de percurso, uns já saíram da minha vida, outros espero que nunca saiam...
A minha vida não está apenas povoada de Joões, outros tiveram e continuam a ter importância, e o nome é mero acessório para a relação que tenho com eles, mas quando oiço: " Patrícia, apresento-te o João", é ímpossivel não olhar uma 2ª vez, sorrir e pensar o que este João acrescentará à minha vida, tal como cada um dos outros acrescentou...

Hoje, os Joões que ficaram, ficarão para sempre, e os próximos que chegarem, serão sempre benvindos... ;)

sexta-feira, maio 25, 2007

Saber que apesar de tudo é a mim que o futuro sorri... :)

quinta-feira, maio 24, 2007

Carta - Toranja

Desculpa se te usei como refúgio dos meus sentidos pedaço de silêncios perdidos que voltei a encontrar em ti...

domingo, maio 20, 2007

E eu já sei isso...

Que jeito me dava agora de não ter este hábito terrível de julgar tudo e todos..
de não imaginar futuros para relações sejam eles bons ou maus..
de não me achar sempre certa e de realmente acertar..
queria tanto não pensar no depois e poder viver o momento apenas e como ele é...
um momento único sem antes nem depois..
aprender que na vida nada se repete e muito pouco é igual..

e eu já sei isso..

a vida já me mostrou que as pessoas também nos podem surpreender positivamente..
é só não fechar logo a porta..
deixar entrar sem receio e sempre sem muito pensar..
é que uma vez aqui dentro só assim alguém poderá nos mostrar que nada mudou..
que é sempre quando menos esperamos que a surpresa acontece...

Fazes-me Falta - Inês Pedrosa

"Prefiro esquecer, esquecer-te até se preciso for, para viver como tu vivias, apreciando cada momento - sobretudo os dolorosos, pela lucidez que trazem como bónus - desta tão precária maravilha a que chamamos existência.
Tantas vezes te aconselhei as virtudes do silêncio.
Queria calar-te para te proteger, sim. Há poucas pessoas apetrechadas para a verdade - mesmo nós, quantas vezes não fechámos à chave umas verdadezitas mais cortabtes para não nos magoarmos? Creio que me fazes - schiuuu! - assim, com uma vagar de embalo, sempre que a voz da minha consciência ( seja lá isso o que for) sobe o tom para me acusar pelo que não te dei. Creio sem crer, como um condenado.
Afinal de contas, não tenho nada a perder.
Mesmo que os anjos não existam, as asas com que te vejo, sentada na beira da minha cama, do cume enlouquecendo da minha insónia, ficam-te melhor do que todas as toilettes. Esforço a imaginação, estendo-a até aos teus dedos, mas não consigo mais do que um ligeiro raçagar de asas.
São lençóis que agito, bem sei - mas não me concederás a graça de transformar a fímbria do meu lençol na ponta dos teus dedos?"

sábado, maio 12, 2007

O fio dos dias

Às vezes interrogo-me onde vou buscar tanta serenidade na espera, como é que ainda acredito que posso cruzar a realidade com a perfeição, de onde vem toda esta luz que me transforma num farol e faz com que chegues sempre são e salvo, sem nunca, por uma vez que seja, te enganares no caminho. É que o amor, que às vezes também se engana, há outras em que acerta sem precisar do relógio, e quem sabe se nós não acertámos no tempo, no espaço e no modo, como fazem os nossos corações quando me encostas à parede e eu vejo tempo parar, suspenso num eternidade só nossa que me faz pensar que afinal valeu a pena esperar tanto tempo por ti. Por isso a espera é quase nada e quase tudo, é a tua imagem no ar, a tua luz no escuro, um fio firme e esticado que me vai guiando pela vida...


A espera é só o tempo de deixar crescer aquilo que há de ser. E é sempre pouco, quando se tem tanto para dar e receber...



Margarida Rebelo Pinto

sexta-feira, abril 20, 2007

Paris Je t'aime!



Francine: Thomas Listen. Listen. There are times when life calls out for a change. A transition. Like the seasons. Our spring was wonderful, but summer is over now and we missed out on autumn. And now all of a sudden, it's cold, so cold that everything is freezing over. Our love fell asleep, and the snow took it by surprise. But if you fall asleep in the snow, you don't feel death coming. Take care...



Gostei desta história e tenho mta vontade de ver as outras...

segunda-feira, abril 16, 2007

O meu mapa natal.. LOL

SOL EM ÁRIES, ASCENDENTE EM LIBRA - A LUTA POR CAUSAS SOCIAIS

De acordo com a sua hora de nascimento, Ana, você nasceu com o ascendente em Áries e o Sol em Libra, condição típica de quem nasceu por volta do pôr-do-sol. A projeção do astro-rei para a zona oeste do mapa lhe garante uma compreensão natural do seu próximo, uma condição especial chamada alteridade, que lhe permite reconhecer o outro como outra pessoa com desejos e quereres próprios, e não como uma extensão sua. Tudo isso lhe torna uma pessoa hábil para relacionamentos, que tem um grande respeito pelos processos alheios. Esta é uma qualidade especial e desejada em terapeutas, em pessoas que atendem os outros.
A poderosa qualidade guerreira de Áries se conjuga ao espírito de justiça libriano, e o resultado é um profundo compromisso com uma ética pessoal e, sobretudo, a coragem de lutar por causas que você considere justas. Cuidado apenas para não descambar para um estilo teórico demais, pois Libra - seu ascendente - é demasiadamente idealista, e Áries tem um lado ingênuo, de modo que nem todos os seus sonhos encontram eco na realidade mundana. Você pode inclusive se desapontar, não entendendo como as pessoas não conseguem "ver a beleza" das suas idéias e motivações, e termina se sentindo como um gênio incompreendido.
Seu anseio por justiça é grande, mas pode ser exagerado, a ponto de você terminar manifestando um lado "Dom Quixote", lutando contra moinhos de vento. Cabe a você aprender a lidar com metas realistas e observar o que é prático e efetivo. Não estou sugerindo que você abdique de seus ideais librianos, mas apenas que saiba esperar o tempo certo. Paciência, afinal, é sempre uma virtude importante a se aprender quando se nasce sob o signo de Áries.

Adeus - Eugénio de Andrade

Já gastámos as palavras pela rua, meu amor,
e o que nos ficou não chega
para afastar o frio de quatro paredes.
Gastámos tudo menos o silêncio.
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas,
gastámos as mão à força de as apertarmos,
gastámos o relógio
e as pedras das esquinas em esperas inúteis.

Meto as mãos nas algibeiras e não encontro nada.
Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro!
Era como se todas as coisas fossem minhas:
quanto mais te dava mais tinha para te dar.
Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes!
e eu acreditava.
Acreditava, porque ao teu lado todas as coisas eram possíveis.
Mas isso era no tempo dos segredos,
no tempo em que o teu corpo era um aquário,
no tempo em que os meus olhos eram peixes verdes.
Hoje são apenas os meus olhos.
É pouco, mas é verdade,
uns olhos como todos os outros.

Já gastámos as palavras.
Quando agora digo: meu amor...,
já se não passa absolutamente nada.
E no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza de que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome
no silêncio do meu coração.
Não temos já nada para dar.
Dentro de ti não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.

Adeus.

domingo, abril 08, 2007

Grey's Anatomy - Great Expectations


No one believes their life will turn out just kind of okay, we all think we're going to be great; and from the day we decide to be surgeons we are filled with expectation. Expectations of the trails we will blaze, the people we will help, the difference we will make. Great Expectations of who we will be, where we will go; and then, we get there...



We all think we're going to be great. And we feel a little bit robbed when our expectations aren't met. But sometimes, our expectations sell us short. Sometimes the expected simply pales in comparison to the unexpected. You gotta wonder why we cling to our expectations because the expected is just what keeps us steady, standing, still. The expected's just the beginning. The unexpected is what changes our lives...



sábado, março 31, 2007

www.umamoratrevido.blogspot.com

" Um ano. Um ano cheio de fins, em que todos os dias te esqueço. Um ano cansado de ouvidos e de dedos à escuta, na mira de um suspiro teu, de um relance foragido, de um sopro. Um ano repleto de palavras minhas e parco em palavras tuas, de memórias brumosas, como fantasmas de piratas no nevoeiro, sem rumo. Um ano de um querer solitário e a noção risível de quão patético é o amor de um lado só. Inevitável, avassalador, incumprido, no seu silêncio emparedado. Sempre a fingir que não é nada, que não foi nada. Caíram, entretanto, muitos factos sobre mim, coisas, chatices, conteúdos programáticos: encheram-me até cima, até toda eu ficar ocupada em trabalhos, até o meu último fio de cabelo ficar com a agenda preenchida. Não adiantou: um ano, dois anos, dez anos, nunca deixarei de pensar em ti, de te querer e de fazer caber um bom bocado de ti dentro de mim. Mas não to digo, nem pensar: não suportaria que me olhasses com a estranheza e a perplexidade dos indiferentes, como se olha um maluco desdentado que nos pedincha um cigarro na rua..."



Apenas uma das muitas razões porque adoro este blog...

segunda-feira, março 26, 2007

Insomnia

A princípio pensei que estavas ali apenas para uma volta no carrossel, nada mais que isso, mas tu foste ficando e o parque foi ficando cada vez mais vazio até ficarmos só nós dois...
A cada volta que davas eu relembrava cada momento que tinha guardado em mim...
Os teus cabelos ao vento, o teu sorriso, os teus olhos, as tuas mãos,a tua voz, as tuas complicações (e as minhas, claro), as nossas conversas...
Quero que saibas que vivi todos os momentos como se nunca mais acabassem...
Mas acabaram... As luzes apagaram-se e a música parou... tu desapareceste...
Senti frio como quando se deixa uma janela aberta no Inverno e parece que todo o frio da rua se concentra naquela pequena abertura para nos chatear...
Hoje não importa a tua ausência porque eu sei, acredita que sei mesmo, que embora invisível, amanhã vais estar aqui comigo...
J.M.

quarta-feira, março 21, 2007

Tiago Bettencourt

(...)

Depois vem a altura em que se quer tudo outra vez.

Tal e qual. Antes de se ser adulto ou coisa parecida.

Sabes que nunca se volta a ser o que se era.

Porque o tempo tem instrumentos de tatuar

e o segundo não volta igual.

Guarda-se tudo numa caixinha... pequena

Que se abre de vez em quando

e volta-se a noção que no presente.

Quer-se tudo outra vez...

Nenhum Olhar - José Luis Peixoto

“Mulher. As promessas. O rosto. Nunca te menti. Se te disse o céu, era o céu; se te disse sol ou água, era sol ou água; se te disse manhã, era a manhã dos teus olhos a enganar-me. Sem que os teus olhos me enganassem. O engano de uma manhã que nasceu nos teus olhos. Sonhámos. Sonhámos e fomos cegos. E não tenho medo da palavra amor. Não tenho medo das palavras. Vê como digo morte: morte morte morte morte morte. Repito-a assim e roubo-lhe o sentido. Roubo morte à morte. Roubo trevas e solidão. Morte morte morte morte morte. Não tenho medo das palavras. Torno a ver os teus olhos diante dos meus, manhã, e quero que esta seja a nossa última palavra: amor.”

segunda-feira, março 19, 2007

Experimenta!






Apetece-me beber-te a conta-gotas...


corpodormente.blogspot.com



quinta-feira, março 15, 2007

Closer


Where is this love?
I can't see it.
I can't touch it.
I can't feel it.
I can hear it.
I can hear some words,

but I can't do anything with your easy words...

Moulin Rouge


I hope you don't mind I hope

You don't mind

That I put down in words...


How Wonderful Life is Now you're in the world

sexta-feira, março 09, 2007

Em vez de um email...


Da próxima vez envia uma carta pelo correio a alguém...

...é bom receber cartas...

...é bom guardá-las numa caixinha...

...é mto bom abrir essa caixinha e reler uma carta tempos mais tarde!

quinta-feira, março 08, 2007

...Apetece-me encontrar-te de novo no caminho...

sábado, março 03, 2007

O Silêncio - Eugénio de Andrade

Quando a ternura
parece já do seu ofício fatigada,

e o sono, a mais incerta barca,
inda demora,

quando azuis
irrompem os teus olhos

e procuram
nos meus navegação segura,

é que eu te falo das palavras
desamparadas e desertas,

pelo silêncio fascinadas...

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Não sei escrever...

Às vezes não sei o que dizer e fico com as palavras. olho só. para ti.

Lá fora, para o teu cabelo em equilíbrio quando atravessas a estrada. no jeito sinuoso de quem vence o vento. ou quando no estado terno do teu sono te encontro no meu peito.

Às vezes há coisas que nunca digo e espero que não morram. como se dizê-las fosse quebrá-las, roubar-lhes magnificência.

Há coisas que não digo, mas nunca esqueço: a casa que são as tuas mãos, a tua mão sobre a minha mão. os teus olhos a chamarem-me, o teu sorriso a invadir-me.

Perguntas em que penso e eu digo penso em nada. como se o nada cobrisse a mente e o pensamento de quem ama. como se o nada fosse maior do que o nada em que o mundo se torna.
Não quero dizer. não quero dizer todas as imagens, ou todos os tons da tua voz que ainda não sei como escrever. não sei escrever as tuas mãos, não posso escrever as tuas mãos.

Não posso escrever o beijo...


sem-querer-penso.blogspot.com/

Madrid


Madrid me ha encantado con su vida, sus calles, sus tapas, el flamenco, su noche, sus plazas...
Madrid me mata!!

domingo, fevereiro 25, 2007

La Science des Rêves


Stéphanie: Why me?

Stephane:Because everyone else is boring. And because you are different...

terça-feira, fevereiro 20, 2007

Passado

Nós que ainda somos jovens passamos a maior parte do Presente a pensar no Futuro e nem sempre pensamos no Passado... Achamos sempre que aquilo que queremos ser dependerá daquilo que fizermos no Futuro...
Apesar do meu curto Passado tenho-me apercebido que não o podemos ignorar, pensar que podemos começar tudo do zero, conhecer novas pessoas e começar novas vidas. O nosso Passado nem sempre está à vista mas reflecte-se nas nossas conversas, na forma como reagimos às situações e no modo como nos relacionamos com os outros...
O Presente que somos é fruto do nosso Passado, não de forma linear, mas de uma forma de expressão subtil, captada na maior parte das vezes depois de bastante tempo de convivência.
Aquilo que somos depende das experiências que tivemos e da forma como vivemos essas experiências.
Aquilo que fazemos no Presente vai acabar por se reflectir mais tarde no Futuro...

domingo, fevereiro 18, 2007

Mega Concerto Visão

Rádio Macau - Anzol
Jorge Palma - Deixa-me Rir
GNR - Dunas
Pedro Abrunhosa - Tudo o que eu te dou
Rui Veloso - Anel de Rubi
Xutos e Pontapés - Circo de Feras

Eles cantaram outras músicas também bonitas mas poder numa só noite ver e ouvir ao vivo músicas que oiço e adoro desde que me conheço é qualquer coisa de espectacular! Não tivesse durado tanto tempo e teria sido perfeito!

sábado, fevereiro 17, 2007



Will you still love me in the morning?

terça-feira, fevereiro 13, 2007

Ben Harper



So speak kind to a stranger, cause you'll never know...


... it just might be an angel come...

domingo, fevereiro 11, 2007

"At some point during surgical residency, most interns get a sense of who they are as doctors and the kinds of surgeons they want to become. If you ask them, they'll tell you they want to be general surgeons, orthopedic surgeons, neurosurgeons.

Distinctions which do more than describe their area of expertise, they define who they are, because outside the operating room, not only do most surgeons have no idea who they are, they're also afraid to find out..."
Grey's Anatomy

sexta-feira, fevereiro 09, 2007


E de novo parece que nada mudou...

O tempo é outro, as roupas e os cabelos são diferentes, as ironias e os temas de conversa são novos e sente-se a independência criada dentro de cada um...

Mas a cumplicidade e o passado continuam imutáveis como se por momentos o tempo deixasse de existir e só interessassem as vidas que ali estavam...

Fazem-se e cruzam-se novos caminhos mas nunca esquecemos onde é a nossa casa...

quarta-feira, fevereiro 07, 2007



" I know you're not always perfect. I know you have tons of problems, defects, imperfections... but who doesn't? It's just that I prefer your problems. I'm in love with your imperfections. Your imperfections are just great! [... ]



I know most girls they get weak on their knees for what's beautiful, you know, that's all they see, that's all they want. But I'm not like that. I don't just see what's beautiful. I fall for the other stuff.

I love what's not perfect. It's just how I am... "




Les poupees russes... again!

Só hoje senti que o rumo a seguir levava pra longe
Senti que este chão já não tinha espaço pra tudo o que foge
Não sei o motivo pra ir só sei que não posso ficar
Não sei o que vem a seguir mas quero procurar


Mafalda Veiga - Um pouco de céu

domingo, fevereiro 04, 2007

Arrebenta a bolhaaa

Arrebenta a bolhaaaaa !!

Tão fácil que era parar o jogo das escondidas... ora porque alguém tinha feito batota e tinham reparado, ou porque alguém tinha que ir embora ou simplesmente porque o que estava à procura queria desistir...
Nada de extraordinário, com aquela idade não tinhamos compromissos nem responsabilidades e principalmente fazíamos aquilo que queríamos sem que fossemos realmente julgados por isso.
Hoje as coisas estão diferentes.. todos fazem "batota" e já ninguém quer saber, as pessoas vão embora mas o jogo não precisa parar e desistir não se demonstra a melhor opção...
Apetece gritar "Arrebenta a bolhaaaa"... acabar com tudo o que está errado e começar de novo o jogo... da Vida!
Mas já aprendemos que às vezes é preciso errar para aprender e que sabe bem ultrapassar os obstáculos.. algumas pessoas vão embora sem sabermos se voltam mas o importante é que há sempre alguém que surge para fazer parte do teu jogo... Aprendes novas regras, sendo que vais quebrar algumas, tens adversários mas tens também parceiros e embora não estejemos sempre a ganhar, o jogo da Vida parece-nos sempre o mais aliciante que já jogámos...
...e no fim agradecemos por ninguém ter gritado "Arrebenta a bolhaa"...